Sylvia Bandeira revive no palco o mito de Marlene Dietrich

De em abril 3, 2012

Sylvia Bandeira à frente da biografia musicada de Marlene Dietrich

Tendo como pano de fundo os principais acontecimentos do século XX, Marlene Dietrich – As Pernas do Século, em cartaz no Teatro Nair Bello, é a primeira montagem teatral brasileira que retrata o mito da atriz e cantora alemã, naturalizada norte-americana, Marlene Dietrich. Aimar Labaki optou por contar a trajetória de vida da grande estrela de maneira inusitada, ou seja, do fim para o começo; aos 90 anos, no final de sua vida, sentada em seu apartamento de Paris é que Marlene recebe um entregador que nem imagina com quem está falando. O garoto é convencido pela velha senhora a sentar e ouvir um pouco de sua história. É desta forma que os principais momentos vividos pela estrela são retratados no palco, desde o início da carreira em Berlim dos anos 20, ao glamour de Hollywood dos anos 30 e 40, sua opção por cantar no front da II Guerra Mundial para os soldados aliados até se tornar a grande estrela dos musicais e percorrer o mundo cantando.
A estrutura de Marlene Dietrich – As Pernas do Século é sempre a mesma: no canto esquerdo do palco, a atriz está sentada com um robe negro contando suas aventuras amorosas, pessoais e profissionais ao garoto e, à medida que vai se lembrando, no palco acontecem as cenas de sua vida. Num grande telão, cenas remontam um painel histórico e social do período vivido pela estrela e Sylvia deixa a poltrona e assume o centro do palco, na pele da diva.
Na biografia musicada, tanto a carreira de sucesso Marlene Dietrich é retratada (foi considerada a estrela de maior salário do cinema e do showbiz), como sua vida amorosa libertária. Sempre casada com o pai de sua única filha, Marlene viveu grandes amores, com mulheres e homens famosos, como Gary Cooper, Edith Piaff e Jean Gabin. Outra façanha ressaltada no musical é a imagem glamourosa da estrela: seu rosto, suas pernas e sua voz fascinavam plateias do mundo todo, tanto que Dietrich é considerada até hoje um dos grandes símbolos sexuais.

Um dos números clássicos da estrela revividos no palco por Sylvia

Além de assinar a direção, William Pereira é o responsável pela cenografia do espetáculo, que conta com a direção musical e arranjos de Roberto Bahal, que no palco está ao piano ao lado de Jefferson Martins (violoncelo) e Fernando Oliveira (clarineta). No passeio musical pela carreira de Marlene Dietrich, Sylvia Bandeira canta tanto em alemão, como em inglês, francês e até português — quando se apresentou no Rio interpretou com forte sotaque alemão Luar do Sertão, de Catulo da Paixão Cearense. Neste painel musical, participam também os outros três atores/cantores, José Mauro Brant (que faz o entregador além de outros personagens), Marciah Luna Cabral e Silvio Ferrari, estes também dividindo-se em diversos papéis. Entre os grandes sucessos apresentados, destaque para Ne me quittes pas (Jacques Brel), Lili Marlene (Hans Lipe), La Vie em Rose (Louis Gugliemi/Edith Piaff), Falling in love again (Friedrich Hollaender/Sammy Lerner) do filme Anjo Azul e Blowing in d e Wind (Bob Dylan).
Fugindo dos moldes dos musicais americanos, Marlene Dietrich – As Pernas do Século é um espetáculo que conta uma história extraordinária, de maneira simples e emocionada.

Fotos: Adelson Brasil

Uba
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
28º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

2 Comentários

Fernando Abrão

abril 4, 2012 @ 09:21

Resposta

Vale a pena conferir! É sempre bom assistir á volta de uma atriz que há tempos não víamos. Trilha impecável!

Maurício Mellone

abril 4, 2012 @ 14:21

Resposta

Fernando:
Que bom receber sua visita aqui!
E adorei sua recomendação do musical com a Sylvia Bandeira!
Bjs e volte sempre!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: