Filme: É apenas o fim do mundo, foto 1

É apenas o fim do mundo: filme põe a nu as relações de uma família

De em dezembro 2, 2016

Filme: É apenas o fim do mundo, foto 1

Gaspard Ulliel é o protagonista do filme de Xavier Dolan, grande vencedor do Festival de Cannes 2016

Com roteiro assinado pelo diretor Xavier Dolan e baseado na peça de Jean-Luc Lagarce, o filme É apenas o fim do mundo retrata a visita de Louis, interpretado por Gaspard Ulliel, à família depois de 12 anos afastado do convívio deles. Sua intenção é confessar que está com uma doença incurável e tem pouco tempo de vida; no entanto sua chegada provoca um turbilhão de sentimentos, tanto com os dois irmãos (Suzane e Antoine, vividos por Léa Seydouxs e Vincent Cassel) como com a cunhada Catherine, vivida por Marion Cottilard, e a mãe, defendida brilhantemente por Nathalie Baye. Falta coragem a Louis para abrir seu coração e dizer a razão de sua volta, muito em função do que sua presença provoca em cada um de seus familiares.

Filme: É apenas o fim do mundo, foto 2

Almoço em homenagem ao filho visitante: as brigas são uma constante

Premiado no Festival de Cannes 2016 — Grande Prêmio do Júri e o troféu do Júri Ecumênico — e representante do Canadá ao Oscar de filme estrangeiro 2017, o filme tem início com Louis chegando ao aeroporto de sua cidade e se dirigindo à nova casa da família; no táxi enquanto observa as mudanças ocorridas no lugar, reflete sobre sua vida e elabora o que dirá aos familiares e de que forma tudo será dito. Mas ao chegar à casa ele percebe a dificuldade de sua missão: todos, ao vê-lo, têm as mais diferentes reações. Suzane, a caçula, era uma criança quando ele partiu e a imagem que tem do irmão é fruto de sua imaginação; ambos não se conhecem. A cunhada Catherine é toda carinhosa, mas realmente nunca se viram e tudo precisa começar do zero entre eles. Já o irmão mais velho, Antoine, é um poço de mágoas e ressentimentos e só se relaciona com as pessoas aos gritos e palavras rudes; com Louis não é diferente. Já a mãe, mesmo com sua tagarelice e seu jeito estabanado de liderar a família, é a única que compreende o único filho que saiu de casa e fez sucesso (Louis é um escritor e dramaturgo famoso). Entretanto ela ao invés de ouvir as razões que o trouxeram de volta, pede que ele incentive e dê ânimo aos irmãos. Com tantas questões íntimas e difíceis de lidar, o que sobressai são as rixas, ressentimentos e o distanciamento entre todos da família. Louis vai adiando a conversa e a confissão que faria justamente pelo imenso muro que o separa da vida dos irmãos e da mãe.

 

Filme: É apenas o fim do mundo, foto 3

Nathalie Baye em atuação brilhante

A trama é toda conduzida por Louis, que pretende falar, mas é o que menos ele faz: o personagem mais observa, ouve e procura entender aquele universo de que um dia ele fez parte. Ulliel tem uma atuação comovente, transmite todos os sentimentos do personagem pelo olhar e mínimos gestos. Destaque também para a interpretação contida e delicada de Marion Cotillard e para o domínio de cena de Nathalie Baye. O filme é merecedor de todos os prêmios que recebeu e daqueles que provavelmente ainda conquistará. Imperdível!

 

 

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento