Filme: Pela Janela, foto 1

Pela Janela: Magali Biff vive operária demitida que reconquista a vida

De em janeiro 23, 2018

Filme: Pela Janela, foto 1

Magali Biff interpreta Rosália, personagem central do filme de estreia de Caroline Leone

Numa coprodução Brasil/Argentina, o filme de estreia da diretora e roteirista Caroline Leone, Pela Janela, é totalmente centrado  no drama de Rosália, brilhantemente interpretada por Magali Biff, uma operária de uma fábrica de reatores na periferia de São Paulo. Com 65 anos, Rosália é chefe de produção e, depois de décadas trabalhando na empresa, um dia, no meio do expediente, recebe o comunicado de sua demissão. Morando só com o irmão Zé, vivido por Cacá Amaral, ela fica sem chão e entra em depressão. A solução encontrada por Zé é levá-la em sua viagem a Buenos Aires: ele é motorista de uma família rica e precisa levar o carro novo da filha dos patrões que estuda e mora na capital argentina. Relutante no início, Rosália aos poucos durante o trajeto vê novo sentido de viver.

Filme: Pela Janela, foto 2

Rosália (Biff) e Zé (Cacá Amaral) transmitem cumplicidade

O filme começa mostrando o cotidiano de Rosália, desde o seu despertar, os preparativos do café da manhã, sua ida e chegada ao trabalho (ela é quem abre e fecha a empresa), seu desempenho profissional, até sua volta pra casa e seus afazeres domésticos. Uma vida rotineira, sem grandes horizontes, que a diretora registra com planos fechados, com foco na ação da personagem. Daí a razão da depressão de Rosália ao saber que está demitida: sem saber o que fazer, ela se recolhe na pequena área de serviço de sua casa e fica lá até ser encontrada pelo irmão. Sem ter com quem deixá-la e precisando viajar no dia seguinte, Zé arruma tanto a sua mala como a de Rosália e praticamente a obriga entrar no carro. Ela ainda tenta uma reação, mas aceita o conselho do irmão, ‘esta viagem vai lhe fazer bem’.

A diretora sabe utilizar em sua produção o velho ensinamento, menos é mais: com poucos diálogos, gestos diminutos e o enquadramento fechado, o espectador vai penetrando no universo restrito de Rosália, que pela janela do carro começa a vislumbrar, aos poucos e lentamente, o mundo à sua volta. As cenas nas Cataratas do Iguaçu têm uma função fundamental na narrativa e no movimento de recuperação de Rosália: se no começo ela estava com medo, a grandiosidade e a beleza das cataratas a invadem e este banho dá início ao seu renascimento.

Filme: Pela Janela, foto 3

Rosália renasce nas Cataratas do Iguaçu

Como todo road movie, Pela Janela também se desenvolve durante a viagem dos irmãos a Buenos Aires — os idosos argentinos que se divertem num restaurante de beira de estrada e contagiam os dois viajantes, o cotidiano no hotel em que eles ficam e a festa dos velhos amigos de Zé. No entanto, o grande movimento que acontece é no interior de Rosália, que consegue vislumbrar novas perspectivas de vida ao se permitir ter novas experiências. E a personagem só ganha esta dimensão humana graças a magistral interpretação de Magali Biff: o olhar e a sutil alteração de fisionomia marcam a transformação daquela mulher comum e tão próxima de cada um de nós.
Não deixe de conferir.

 

 

 

Fotos: divulgação

você pode gostar

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
28º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: