Peça: O Rio, foto 1

O Rio: montagem inédita em que Nelson Baskerville atua e dirige

De em janeiro 24, 2018

Peça: O Rio, foto 1

Virginia Cavendish, Baskerville e Maria Manoella protagonizam peça de Jez Butterworth

 

Na montagem inédita no país da peça do dramaturgo britânico Jez Butterworth, O Rio — em cartaz no SESC Consolação — pela primeira vez na carreira Nelson Baskerville dirige e atua. Em entrevista exclusiva à TV MELLONE, o ator confessa estar feliz com esta experiência: “Além de ser uma peça com uma carpintaria teatral perfeita, também atuo de um jeito que há muitos anos não tinha a oportunidade de fazer. Está sendo incrível atuar e dirigir!”
E este desafio é ainda maior por se tratar de uma trama não linear em que o autor incita o espectador a descobrir e criar o próprio enredo da peça. Um homem solitário e amante da pesca leva a namorada para pescar trutas; durante a pescaria ela se perde do namorado, que se desespera e chama a polícia. Mas ao chegar em casa, ele percebe que ela já havia voltado. No entanto quem o recebe é uma outra mulher e o diálogo continua sem qualquer alteração. O público fica sem saber de quem se trata. E é nesta atmosfera de mistério que se discute sobre o sentido da vida, do amor e do tempo. Nelson divide o palco com Maria Manoella e Virginia Cavendish.

Peça: O Rio, foto 2

Virginia assina a produção e divide o palco com Baskerville

 

Num belo cenário de Marisa Bentivegna, que mescla o interior de uma casa de campo e o jardim externo, os primeiros 20 minutos da peça é de um realismo extremo, com o casal discutindo sobre a pescaria. É justamente após o incidente em que eles se perdem na noite escura que o tom da peça começa a mudar. Quem realmente são aqueles personagens, as mulheres são frutos da imaginação do homem, em que época as várias situações ocorrem, quem está vivo e quem já morreu. São inúmeras as perguntas e as respostas ficam a cargo de cada um dos espectadores estabelecer.

 

“A grande vantagem desta peça é que ela levanta várias perguntas e não responde nenhuma delas. A riqueza do texto está neste mistério; no fundo a peça fala dos grandes mistérios da vida, o amor, as pessoas que passam pelas nossas vidas, os relacionamentos e as paixões do Homem. Os personagens não têm nome, é como se o autor definisse arquétipos, do masculino e do feminino. O Rio é um espetáculo sobre a natureza, o homem e sobre o tempo e nossas buscas incessantes sobre o sentido disso tudo”, argumenta Nelson Baskerville.

 

Como a peça não traz respostas prontas, a sensação ao sair do espetáculo é de estranhamento. Mas aos poucos as indagações propostas por Butterworth começam a ter sentido e o espectador é forçado a criar o próprio enredo. Outro destaque da montagem é para a iluminação de Wagner Freire, que contribui para o clima de mistério da trama. A direção de Baskerville é enriquecida com olhar externo de Vivien Buchup e Fernando Nitsch, já que ele está permanentemente em cena. E o entrosamento dos atores impressiona: há o impacto inicial com a troca das atrizes, mas com o desenrolar da trama o jogo cênico é compreendido, graças à segurança de interpretação de Maria Manoella e Virginia Cavendish. Baskerville dá o tom exato para aquele homem solitário e sensível. É muito bom vê-lo atuando, que isto se repita com mais frequência! Programe-se, a peça fica somente até o final do mês.

Peça: O Rio, foto 3

Maria Manoella é a outra mulher do homem solitário (Nelson)

Roteiro:
O Rio. Texto: Jez Butterworth. Tradução: Daniel Pellizzari. Direção geral: Nelson Baskerville. Diretores assistentes: Vivien Buckup e Fernando Nitsch. Elenco: Nelson Baskerville, Maria Manoella e Virginia Cavendish (participação especial de Luciana Caruso). Direção musical: Daniel Maia. Iluminação: Wagner Freire. Cenografia: Mariza Bentivegna. Figurino: Marichilene Artisevskis. Fotografia: Ligia Jardim. Direção de produção: Virginia Cavendish. Produção executiva: Paulo Ferrer.
Serviço: 
SESC Consolação, Teatro Anchieta (280 lugares), Rua Dr. Vila Nova, 245, tel. 11 3234-3000. Horários: sextas e sábados às 21h, domingos e feriados, às 18h. Ingressos: R$ 40, R$ 20 (estudante, servidor da escola pública, +60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$12 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc). Duração: 75 minutos. Classificação: 14 anos. Temporada: até 25/02.

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Favo do Mellone

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: