No palco, o universo popular nordestino de Ariano Suassuna

De em abril 9, 2011

Diogo Camargos e Leonardo Brício na pele de personagens de Suassuna

A rica cultura popular do Nordeste brasileiro é o mote central da obra do dramaturgo e romancista Ariano Suassuna, autor de clássicos como O Auto da Compadecida e A Pedra do Reino . E em As Conchambranças de Quaderna esse universo dá vida à peça, dirigida pela atriz Inez Viana e que permanece em cartaz no Sesc Vila Mariana até 1º de Maio.

A oralidade típica do povo simples do Nordeste e a poesia sertaneja são o mote do espetáculo, que reúne duas histórias contadas por Pedro Quaderma (vivido por Leonardo Brício), personagem central de Romance d’A Pedra do Reino. Na primeira, há o casamento de duas irmãs, em que o noivo de uma delas resolve no dia do matrimônio mudar de noiva, o que gera a maior confusão. A segunda história, baseada em fato real, é sobre uma mulher que presta queixa às autoridades contra o diabo, que não cumpriu a promessa de levar seu marido para o inferno.

Para quem estranha o título da peça, Suassuna explica que conchambrança é uma corruptela de conchavo. É dessa forma que Quaderma relata suas lembranças, em que fez vários conchavos para resolver as situações a contento, sempre tirando proveito de tudo e de todos.

Ao ser convidada a participar de um festival de teatro, Inez Viana — que já dirigiu documentário sobre Suassuna e organizou seminários sobre o autor — solicitou uma peça ao amigo. Ele apresentou As Conchambranças de Quaderna, dizendo que essa comédia tinha sido encenada apenas por grupos amadores.
“Fiquei radiante com a possibilidade de montar uma peça dele e praticamente inédita. Suassuna, que faz da sua vida a missão de escrever e falar sobre o povo brasileiro, nos ensina que toda cultura universal é primordialmente local. Procurei seguir esta linha e ser fiel ao seu rico universo”, argumenta a diretora.
Vencedor no Rio do Prêmio Shell/10 de melhor direção musical, o espetáculo conta com nove atores e dois músicos que executam a trilha ao vivo. Destaque para o cenário de Nello Marrese, que utiliza placas que reproduzem ilustrações de Ariano Suassuna: elas são manipuladas pelos atores, que dão ritmo à trama, criando uma ilusão de surgimento e desaparecimento em cena.

Foto: Divulgação

você pode gostar

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Marcos Zaccharias Publicitário

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: