Outra ótima comédia francesa em cartaz: E se vivêssemos todos juntos?

De em outubro 15, 2012

Filme: E se vivêssemos todos juntos?

Jean (Guy Bedos), Albert (Pierre Richard), Claude (Claude Rich), Jeanne (Jane Fonda) e Annie (Geraldine Chaplin) são amigos há mais de 40 anos

A safra do cinema francês continua em alta. Depois de Intocáveis e Tudo o que Desejamos, entrou em cartaz a comédia E se vivêssemos todos juntos? (Et si on vivait tous ensemble?), em que o diretor Stéphane Robelin, responsável também pelo roteiro, toca num assunto delicado sem apelar a pieguice ou ao melodrama: a velhice e os problemas que ela provoca.
Como o filme é conduzido sob o ponto de vista dos idosos, o bom humor prevalece e os cinco amigos são retratados naturalmente, com seus anseios, desejos, vaidades, manias e irritabilidade costumeira da idade avançada. Os casais Annie e Jean (vividos por Geraldine Chaplin e Guy Bedos) e Jeanne e Albert (interpretados por Jane Fonda e Pierre Richard), além do fotógrafo Claude (Claude Rich), são amigos há mais de 40 anos e todos já estão na faixa dos 70. Quando aparecem os primeiros sintomas da velhice e Claude sofre um AVC, — sendo internado num asilo pelo filho Bernard (Bernard Malaka) —, os amigos radicalizam. Na primeira visita que fazem a Claude, constatam o lamentável estado geral dos outros internos e decidem raptar o amigo. Do asilo eles se mudam todos para a casa de Annie e Jean, passando a morar todos juntos.
A teoria parece perfeita, mas na prática não é tarefa fácil reunir na mesma moradia cinco idosos que até então tinham suas casas. Dificuldades de convivência com Albert, que a cada dia vai perdendo a memória e se distanciando da realidade, além de segredos do passado que vêm à tona e provocam atritos entre eles.

Filme: E se vivêssemos todos juntos 2

Daniel Brühl vive o estudante Dirk, contratado para cuidar do cão mas se afeiçoa a Jeanne (Fonda)

O contraponto na vida dos velhinhos é a chegada de Dirk (Daniel Brühl), contratado para cuidar do cachorro e que estuda o comportamento de pessoas da terceira idade da Europa contemporânea. De cara ele se afeiçoa a Jeanne, que lhe conta sobre seu grave problema de saúde e confessa o que espera de seu funeral. O rapaz, além de sua pesquisa acadêmica, começa a participar da vida de cada um dos moradores daquela recém-comunidade.
O diretor conduz a história com leveza e induz o espectador a refletir sobre a velhice: na trama, por exemplo, a sexualidade dos personagens é apresentada com naturalidade (em uma cena Jeanne diz literalmente a Dirk que os velhos não são assexuados).

Filme: E se vivêssemos todos juntos 3

Grande trunfo deste filme francês: contar com Jane Fonda e Geraldine Chaplin em cena!

Aprender a lidar com os idosos ou pelo menos começar a olhar para a realidade deles com mais carinho, paciência e atenção. Estas as lições que E se vivêssemos todos juntos? proporciona aos espectadores. Outro grande prazer deste filme é poder apreciar duas divas do cinema contracenando, Jane Fonda e Geraldine Chaplin!

Fotos: divulgação

 

Tório 2
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Favo do Mellone

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: