Outra ótima comédia francesa em cartaz: E se vivêssemos todos juntos?

De em outubro 15, 2012

Filme: E se vivêssemos todos juntos?

Jean (Guy Bedos), Albert (Pierre Richard), Claude (Claude Rich), Jeanne (Jane Fonda) e Annie (Geraldine Chaplin) são amigos há mais de 40 anos

A safra do cinema francês continua em alta. Depois de Intocáveis e Tudo o que Desejamos, entrou em cartaz a comédia E se vivêssemos todos juntos? (Et si on vivait tous ensemble?), em que o diretor Stéphane Robelin, responsável também pelo roteiro, toca num assunto delicado sem apelar a pieguice ou ao melodrama: a velhice e os problemas que ela provoca.
Como o filme é conduzido sob o ponto de vista dos idosos, o bom humor prevalece e os cinco amigos são retratados naturalmente, com seus anseios, desejos, vaidades, manias e irritabilidade costumeira da idade avançada. Os casais Annie e Jean (vividos por Geraldine Chaplin e Guy Bedos) e Jeanne e Albert (interpretados por Jane Fonda e Pierre Richard), além do fotógrafo Claude (Claude Rich), são amigos há mais de 40 anos e todos já estão na faixa dos 70. Quando aparecem os primeiros sintomas da velhice e Claude sofre um AVC, — sendo internado num asilo pelo filho Bernard (Bernard Malaka) —, os amigos radicalizam. Na primeira visita que fazem a Claude, constatam o lamentável estado geral dos outros internos e decidem raptar o amigo. Do asilo eles se mudam todos para a casa de Annie e Jean, passando a morar todos juntos.
A teoria parece perfeita, mas na prática não é tarefa fácil reunir na mesma moradia cinco idosos que até então tinham suas casas. Dificuldades de convivência com Albert, que a cada dia vai perdendo a memória e se distanciando da realidade, além de segredos do passado que vêm à tona e provocam atritos entre eles.

Filme: E se vivêssemos todos juntos 2

Daniel Brühl vive o estudante Dirk, contratado para cuidar do cão mas se afeiçoa a Jeanne (Fonda)

O contraponto na vida dos velhinhos é a chegada de Dirk (Daniel Brühl), contratado para cuidar do cachorro e que estuda o comportamento de pessoas da terceira idade da Europa contemporânea. De cara ele se afeiçoa a Jeanne, que lhe conta sobre seu grave problema de saúde e confessa o que espera de seu funeral. O rapaz, além de sua pesquisa acadêmica, começa a participar da vida de cada um dos moradores daquela recém-comunidade.
O diretor conduz a história com leveza e induz o espectador a refletir sobre a velhice: na trama, por exemplo, a sexualidade dos personagens é apresentada com naturalidade (em uma cena Jeanne diz literalmente a Dirk que os velhos não são assexuados).

Filme: E se vivêssemos todos juntos 3

Grande trunfo deste filme francês: contar com Jane Fonda e Geraldine Chaplin em cena!

Aprender a lidar com os idosos ou pelo menos começar a olhar para a realidade deles com mais carinho, paciência e atenção. Estas as lições que E se vivêssemos todos juntos? proporciona aos espectadores. Outro grande prazer deste filme é poder apreciar duas divas do cinema contracenando, Jane Fonda e Geraldine Chaplin!

Fotos: divulgação

 

Tório 2
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: