Exposição: 'Gaudi: Barcelona,1900', foto 1

Gaudí: Barcelona, 1900- mostra do mestre catalão e seus contemporâneos

De em dezembro 14, 2016

Exposição: 'Gaudi: Barcelona,1900', foto 1

Maquete da Basílica da Sagrada Família

Depois de já ter passado por Florianópolis/SC, a exposição Gaudí: Barcelona, 1900, com curadoria de Raimon Ramis e Pepe Serra, está em cartaz no Instituto Tomie Ohtake até fevereiro. A mostra presta uma homenagem aos 90 anos de morte de Antoni Gaudí, o consagrado arquiteto catalão, que, segundo os curadores, com suas ideias e seu processo de trabalho abriu as portas a conceitos arquitetônicos considerados modernos até hoje. Com 46 maquetes, sendo quatro delas em escala gigante, e 25 peças entre objetos e mobiliário criados pelo mestre, a mostra conta ainda com 40 trabalhos de pintores e artesãos que, ao lado de Gaudí, compuseram a rica cena artística da cidade de Barcelona, na Espanha, nos anos 1900.
De acordo com os curadores, no final do século XIX e início do século XX a Espanha passou por profundas mudanças sociais e culturais decorrentes da revolução industrial, o que propiciou o surgimento do modernismo catalão, com o arquiteto Gaudí sendo um de seus maiores expoentes.

Exposição: 'Gaudí: Barcelona, 1900', foto 2

Entre dois capítulos/1890, tela de Ramón Casas

As duas salas que abrem a mostra são dedicadas aos artistas e artesãos contemporâneos de Gaudí, entre eles Santiago Rusinol, Ramón Casas, Gaspar Nomar, Isidre Nonell e Ricard Canais. Além de pinturas e esculturas, há nestas salas diversos objetos, entre lustres, puxadores de porta, grades, tapetes, azulejos e peças de mobiliário, como cadeiras, mesas, poltronas e cantoneiras, a maioria delas trabalhadas em delicada marchetaria.
As outras duas salas contêm somente o trabalho do mestre catalão, com objetos e adereços arquitetônicos (portas, janelas, puxadores de porta) e mobiliário (cadeiras, mesas e poltronas). No entanto, o grande destaque do espaço são para as maquetes, que são representações em escala reduzida de uma obra de arquitetura ou de engenharia. E o destaque das maquetes é para aquela considerada a maior obra de Gaudí, a Basílica da Sagrada Família. Além de detalhes da grande obra, há vídeos muito elucidativos, que mostram o processo construtivo do mestre catalão para a Basílica. É muito interessante observar a maquete e ao mesmo tempo entender como o arquiteto criou a obra através do detalhamento demonstrado nos vídeos. Depois de percorrer todo o espaço com as várias maquetes, o visitante chega ao final e se depara com a maquete completa da Basílica, que impressiona. Para finalizar, no saguão do museu, há ainda quatro gigantescas maquetes das obras de Gaudí.

 

“A experimentação técnica e formal de Gaudí, sua capacidade de absorver e reelaborar as teorias estéticas e arquitetônicas, fizeram dele um arquiteto de densidade única”, argumentam Raimon Ramis e Pepe Serra.

 

Exposição: 'Gaudí, Barcelona, 1900', foto 3

Mobiliário de artesãos contemporâneos de Gaudí

 

Neste período de férias escolares e festas de fim de ano, nada melhor do que um passeio cultural. E a exposição de Gaudí é uma excelente alternativa: a mostra fica na cidade até fevereiro. Há atividades voltadas para crianças e visita monitorada. Para mais informações, acesse o site www.institutotomieohtake.rog.br


 

Exposição: 'Gaudí: Barcelona, 1900', foto 4

Maquete da sacristia da Basílica da Sagrada Família

 

 

Roteiro:
Gaudí, Barcelona 1900
. Instituto Tomie Ohtake, Av. Faria Lima 201. Horários: de terça a domingo, das 11h às 20 h. Ingressos: R$ 12 e R$ 6; às terças entrada gratuita. Temporada: até 05 de fevereiro de 2017.

 

 

 

 Fotos: divulgação

Uba
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: