Peça: A Porta da Frente, foto 1

A Porta da Frente: comédia contesta valores familiares e preconceitos

De em julho 11, 2018

Peça: A Porta da Frente, foto 1

Elenco: Sandra Pêra, Miriam Mehler, Roney Facchini, Fabiano Medeiros, Greta Antoine e Bruno Sigrist

Se a vida de uma família de classe média do badalado bairro carioca de Copacabana já estava num marasmo, com pai, mãe, filhos e sogra em completa desunião, a chegada de um vizinho, no mínimo inusitado, põe em xeque valores, conceitos e transforma a maneira como todos se relacionam naquele lar. Este o mote central da comédia de Julia Spadaccini, A Porta da Frente, que acaba de estrear no Teatro Renaissance, dirigida por Marcelo Varzea e com elenco liderado por Sandra Pêra, Roney Facchini e Miriam Mehler. Sasha, o vizinho vivido por Fabiano Medeiros, é professor de canto e suas aulas são pretexto para as reclamações da família, que na verdade não tolera seu modo de vida.

Peça: A Porta da Frente, foto 2

Marilu (Miriam) com a filha (Sandra) e o genro (Facchini): família desunida

A trama revela o universo daquela família liderada pelo do casal Lenita e Rui, papéis de Sandra e Facchini: ele um corretor de imóveis entediado com o trabalho e distante tanto de sua relação com a esposa como dos filhos gêmeos Natália e Jonas (Greta Antoine e Bruno Sigrist) e ela uma dona de casa que tenta manter o casamento, mas tem prazer mesmo em se relacionar virtualmente com um homem que sequer sabe o nome. Completa o seio familiar, Dona Marilu, mãe de Lenita, vivida por Miriam Mehler, uma avozinha que vive do passado e de fantasias, mas que tem lapsos de lucidez.
Este núcleo familiar marcado por desencontros e total falta de diálogo é perturbado ainda mais com a chegada de Sasha, que se veste com trajes femininos e se diz heterossexual. Uma enxurrada de preconceitos vem à tona, sem que ao menos eles se conheçam. No entanto, Rui é o primeiro a visitar o novo vizinho para dizer que suas aulas incomodam a esposa que sofre de enxaqueca, mas é envolvido pelo carisma do professor e descobre sua vocação pelo canto. O jovem Bruno, ao saber que o pai frequenta a casa de Sasha, também vai até lá para tirar satisfação, mas só recebe bons conselhos do professor. Mãe e filha são as únicas a manter uma irracional oposição ao vizinho.

 

“Sinto um fascínio pelo crossdressing, uma mudança de ponto de vista: o Sasha ilumina cantos escuros e sacode as juntas enferrujadas daquela família. Com esta peça, queria falar de intolerância e de limitação e o crossdresser, um personagem indecifrável, me ajudou nesta proposta”, argumenta a dramaturga.

A direção optou por contar a história de forma segmentada: tudo acontece em três ambientes — na sala da família, no quarto dos filhos (os gêmeos até dividem o cômodo com uma linha para que um não invada o espaço do outro) e na sala de Sasha —, com a iluminação determinando o local da ação. Sem dúvida o destaque do espetáculo é para o texto (vencedor do Prêmio Shell Rio/2013), que faz uma radiografia de uma família contemporânea de classe média e que traz com um final surpreendente. Pena que a autora não criou situações em que Sasha contracenasse com Marilu, dois personagens tão multifacetados. Destaque ainda para a atuação de Facchini, que com sutileza mostra a profunda transformação de seu personagem, e da veterana Miriam Mehler, que numa participação especial cativa a plateia.

Peça: A porta da Frente, foto 3

Casal que vive sem diálogo

 

Roteiro:
A Porta da Frente. Texto: Julia Spadaccini. Direção: Marcelo Varzea. Elenco: Sandra Pêra, Roney Facchini, Fabiano Medeiros, Greta Antoine e Bruno Sigrist. Participação especial: Miriam Mehler. Assistente de direção: Tadeu Freitas. Direção de movimento: Érica Rodrigues. Figurino e visagismo: Leopoldo Pacheco. Cenário: Camila Schimidt. Trilha sonora: André Hã. Iluminação: César Pivetti e Vânia Jaconis. Designer gráfico: Daniel Maia. Fotografia: Caio Galucci. Direção de produção: Selma Morente e Célia Forte. Realização: Morente Forte Prod. Culturais.
Serviço:
Teatro Renaissance (440 lugares), Alameda. Santos, 2233, tel. 11 3069.2286. Horários: sábado às 19h e domingo às 20h. Ingressos: sábado R$ 80 e domingo R$ 70. Bilheteria: quinta, das 14h às 20h; sexta a domingo das 14h até o início da sessão. Vendas: www.ingressorapido.com.br. Duração: 80 min. Classificação: 12 anos. Temporada: até 09 de Setembro.

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
26º Festival Mix Brasil da Cultura da Diversidade

Deixe comentário

Deixe uma sugestão




Deixe uma sugestão

Indique um evento




Indique um evento