RSS FACEBOOK TWITTER

De Menor: filme traz um olhar sensível ao problema do menor infrator


Filme: De Menor, foto 1

Giovanni Gallo e Rita Batata vivem os irmãos Caio e Helena no filme de estreia de Caru Alves de Souza

Depois de percorrer diversos festivais de cinema pelo mundo (Espanha, França e Cuba) e dividir o prêmio de melhor filme do Festival de Cinema do Rio/2013 com O Lobo Atrás da Porta, De Menor acaba de estrear na cidade.
Filme de estreia da diretora paulista Caru Alves de Souza — que assina o roteiro ao lado de Fabio Meira—, retrata o trabalho de Helena, vivida por Rita Batata, uma defensora pública do Fórum de Santos que atua em casos de crianças e adolescentes presos pela polícia após cometerem crimes. O drama maior da jovem advogada é quando seu irmão Caio, de 17 anos, interpretado por Giovanni Gallo, é preso após participar de um assalto.

Filme: De Menor, foto 2

Por sua atuação, Rita foi premiada na França e em Cuiabá

O filme tem início com Helena na praia, molhando os pés no mar; ela volta para casa e chama por Caio, que está no banho. Aos poucos o espectador percebe que se trata de dois irmãos que perderam os pais recentemente e tentam vender a casa, único bem deixado de herança. O laço de amor e cumplicidade entre os irmãos fica muito evidenciado.

Paralelamente, a trama mostra o dia a dia da jovem defensora pública, que nas audiências diante do juiz, interpretado por Caco Ciocler, tem de se contrapor ao promotor (Rui Ricardo Diaz), que aponta os crimes e delitos dos menores. Com sensibilidade, Helena procura contextualizar cada caso e apontar alternativas para as penas a serem impostas aos menores, geralmente com graves problemas dentro de casa (alcoolismo, drogas, violência e desestrutura familiar). Helena chega a procurar a mãe de um menor que furtou uma bicicleta (só para dar uma pedalada), tentando convencê-la a se reaproximar do filho.
Mas como diz o velho ditado — em casa de ferreiro, espeto é de pau —, Helena é surpreendida com o envolvimento de Caio num grave delito, em que num assalto a vítima é baleada. O garoto é preso e se nega a dizer a verdade até para a própria irmã. As convicções pessoais e profissionais de Helena são postas em xeque diante do caso de Caio.
De maneira delicada, De Menor discute uma questão que vira e mexe vem à tona: a redução da maioridade penal em casos de crimes hediondos. Em entrevista quando do lançamento do filme, a diretora é enfática:

 

“Ser a favor da redução da maioridade penal no Brasil é tratar a exceção como regra, é deixar de garantir os direitos dos adolescentes e, principalmente do adolescente pobre, para colocá-los na cadeia, que no nosso país é um grande depósito de gente”, argumenta Caru Alves de Souza.

 

Filme: De Menor, foto 3

Caco Ciocler interpreta o juiz Carlos

Além de um roteiro enxuto e rico de possibilidades de reflexão, De Menor se destaca pela interpretação sensível de Rita Batata (premiada com melhor atriz no Festival de Marselha/França e no Cinemato de Cuiabá) e de Giovanni Gallo, que faz sua esteia no cinema, mas já é conhecido por sua atuação no premiado seriado da TV Cultura, Pedro & Bianca.
Fiquei extremamente sensibilizado com a delicadeza do filme, que marca a bela estreia da diretora em longa metragem (ela já dirigiu curtas e documentários para TV).

 

 

Foto: divulgação

, , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta