RSS FACEBOOK TWITTER

Filme mexicano abre 23º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade


Filmes: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 1

Evento com atrações de cinema, teatro, performance, música e conferência acontece de 11 a 22 de novembro de 2015

Com as salas lotadas do Centro Cultural São Paulo, aconteceu ontem a abertura do 23º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade. A mestre de cerimônia, a atriz Gilda Nomacce, logo chamou ao palco o diretor artístico João Federici e André Fischer, codiretor do festival, que saudaram a todos e apresentaram um resumo das atividades desta edição, que acontece até o próximo dia 22. Ambos fizeram questão de homenagear Suzy Capó, cofundadora do festival e que faleceu este ano.
Num período de crise econômica e dificuldades financeiras, um evento cultural sobre diversidade sexual inevitavelmente sofreria abalos. Mas mesmo com uma verba restrita, o diretor artístico ressaltou que alguns apoiadores se juntaram a eles e a edição 2015 está ainda maior e diversificada:

Filme: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 2

João Federici

“Teremos 139 filmes, de 28 países, além de teatro, performances, música e a 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil, que trará palestras e debates sobre a diversidade sexual e de gênero. O Festival também entrou para o calendário oficial de São Paulo e estamos muito orgulhosos de fazer parte da história desta cidade e do Brasil”, enfatizou João Federici.

Em razão das exibições de filmes seguidas de discussões com a população das periferias da cidade, André Fischer se mostrou otimista com as novas gerações, que estão mais abertas às questões, e finalizou:

Filme: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 3

André Fischer

“Se no mundo há progressos, como no Chile que regulamentou o casamento de pessoas do mesmo sexo, aqui no Brasil houve retrocesso, muito em função da gangue que se instalou no Congresso Nacional. Mas eles não vão conseguir nos calar. Um exemplo vivo é o Festival Mix Brasil, um evento cultural que promove a discussão e a propagação da diversidade sexual no país

Filme: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 4

Ralé, filme de Helena Ignez

Também estiveram presentes na abertura do Festival os secretários da cultura do Estado e da capital, Marcelo Araújo e Nabil Bonduki , representantes da secretaria municipal dos direitos humanos, do SESC-SP, do CCSP e do Instituto Itaú Cultural que se integrou aos patrocinadores do evento.
Além da maciça participação de cineastas brasileiros — foram mais de 170 trabalhos inscritos, sendo selecionados 18 curtas e 10 longas — , o Festival Mix Brasil neste ano destaca a produção latina, com oito longas e um programa de curtas, vindos do México, Nicarágua, Cuba, Venezuela, Chile, Uruguai e Argentina.

Filme: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 5

Histórias de Nossas Vidas, de Jim Chuchu

 

No panorama internacional serão apresentados 28 filmes dos mais diferentes países, com destaques para Grandma (EUA), de Paul Weitz, Amor Eterno (Espanha) de Marçal Forés, Histórias de Nossas Vidas (Quênia), de Jim Chuchu, melhor documentário do Teddy em Berlim.
No programa Dramáticas em Cena serão 16 espetáculos, entre peças, performances e leituras. Já no Mix Music, destaque para as presenças do rapper Rico Dalasam e da DJ Luana Hansen. E pela primeira vez acontece a Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil, com palestras e debates e a presença de inúmeros convidados que discutirão as questões da diversidade. Para participar da conferência é preciso se inscrever.

 

Filme: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 6

Te Prometo Anarquia, de Julio Cordón

Depois das falas das autoridades, o ator mexicano Diego Calva subiu ao palco para convidar a todos para assistir Te Prometo Anarquia, do diretor Julio Cordón,que conta a história dos skatistas Miguel (Calva) e de seu namorado Johnny (Eduardo Eliseo), que para financiar o estilo de vida do grupo vendem o próprio sangue para clínicas clandestinas. No entanto, eles são surpreendidos com a proposta milionária da máfia, que exige um grupo grande de doadores; os garotos levam uma rasteira e precisam reinventar o modo de viver.

 

Filme: Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, foto 7

Prêmios: Coelho de Ouro e Coelho de Prata aos vencedores

A premiação será para os filmes de longa e curta-metragem nacionais (troféu Coelho de Ouro) e concorrem ao troféu Colho de Prata, nas categorias direção, roteiro e interpretação, os curtas e longas-metragens brasileiros. O público escolhe os melhores curtas e longas do Brasil e do exterior. A cerimônia de premiação acontece no próximo dia 18.
Assistam aos filmes e a toda a programação cultural do festival e não deixem de participar das palestras e debates que acontecem durante o evento. Mais Informações: www.mixbrasil.org.br.

 

Fotos: divulgação

, , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta