Peça: Meu Deus!, foto 1

Irene Ravache e Dan Stulbach em texto comovente: Deus procura terapia

De em abril 1, 2014

Peça: Meu Deus!, foto 1

Dan Stulbach na pele de Deus recorre à ajuda da terapeuta Ana, interpretada por Irene Ravache

 

Há muito um espetáculo não me emocionava tanto! Sai da sala do Teatro FAAP depois de assistir a comédia da dramaturga israelense Anat Gov, Meu Deus!, comovido e refletindo sobre minhas convicções sobre Deus. Com humor refinado, a autora — que prematuramente faleceu em 2012, vítima de câncer — provoca o espectador a refletir profundamente sobre a existência humana. Ao procurar uma terapeuta que se diz ateia, papel brilhantemente defendido por Irene Ravache, Deus, encarnado por Dan Stulbach, se mostra deprimido e em crise justamente pelo resultado e pelas ações de sua criação, nós os homens.

O texto, traduzido por Eloísa Canton, com versão brasileira de Célia Forte,  é rico por transitar entre o humor — as cenas iniciais, em que o paciente se apresenta e a terapeuta revela sua incredulidade, são hilárias — e o drama, com reviravoltas surpreendentes e um desfecho tocante.
A trama inicia com a psicóloga Ana em sua bela casa se preparando para receber o novo paciente que ligou suplicando para ser atendido (mãe de um rapaz autista, vivido por Pedro Carvalho, ela só trata de crianças); em suas falas solitárias, ela questiona Deus pela falta de chuva. Depois de avisar ao filho que precisa trabalhar, Ana leva o rapaz para dentro, quando o paciente entra e começa a apreciar o local. Ana volta e se surpreende com ele já na sala. A surpresa só aumenta com o início da terapia, quando ele confessa estar triste e deprimido há mais de 2 mil anos! Ana só se convence de que está diante do Todo Poderoso quando Ele prova saber de suas mais íntimas e inconfessáveis limitações.

Peça: Meu Deus!, foto 2

Irene e Dan protagonizam primeira montagem no país da peça de Anat Gov

A partir deste momento Ana toma as rédeas da situação e começa a checar as atitudes divinas, questionando passagens do início da criação (fatos retratados no Antigo Testamento) e se o criador não tem sua carga de responsabilidade sobre as maldades e o lado perverso do homem. Este embate entre a terapeuta e Deus, a princípio improvável e inverossímil, torna-se real e possível, pois faz com que o espectador repense sobre a atitude destrutiva do homem diante do planeta e da vida.

Mais do quer propor a personificação de Deus, Anat Gov, com esta peça, promove uma discussão mais profunda, a de que somos a criação divina e, por isso, somos Deus, temos a centelha divina em nossa essência. Assim, quem está em crise: Deus ou o homem? Quem precisa rever seus atos e se reavaliar de maneira radical?

Além do texto excepcional e a direção precisa de Elias Andreato, a montagem de Meu Deus! encanta pelo cenário envolvente de Antonio Ferreira Junior, o elegante figurino de Fause Haten e a bela iluminação de Wagner Freire. Mas o que justifica a montagem desta peça é sem dúvida a atuação dos atores: Dan é a pura emoção no palco, com a verdade do personagem transmitida pelo olhar de extrema expressão; já a ‘divina’ Irene, com uma personagem rica como Ana, tem a chance de mostrar várias nuances de interpretação e conduz a trama para o desfecho comovente. Ambos, ao final, levam a plateia ao êxtase!

Peça: Meu Deus!,  foto 3

Dirigidos por Elias Andreato, Irene e Dan dividem o palco com Pedro Carvalho

 

 

Espetáculo merece ser assistido por imensas plateias. Uma das grandes atrações do ano!

 

 

 

 

Fotos João Caldas

 


6 Comentários

Raphael Vilela

outubro 11, 2016 @ 07:34

Resposta

Vou ser bem direto … umas semanas antes do Dan Skulbach e da Irene Ravanche se apresentar com essa linda peça eles foram no Jô Soares, e foi lá que conheci essa peça ,naquela época não deu para assistir pela distance e financeiramente também.Mas me apaixonei de cara pelo oque apresentaram lá no Jô Soares e estou procurando videos ou até mesmo aquela entrevista com o próprio Jô Soares. Sei que não é o seu trabalho ,mas você tem gravado ou sabe aonde posso conseguir pelo menos a entrevista com o Jô Soares?! Desde de já agradeço!

Maurício Mellone

outubro 11, 2016 @ 15:14

Resposta

Raphael,
vc já tentou pelo globo play?
Talvez vc encontre a entrevista. Tente também pelo You Tube.
Atualmente a peça está em Portugal e ao lado da Irene está o ator
português Ricardo Pereira.
obrigado pela visita
abr

Carlos

abril 24, 2014 @ 15:52

Resposta

CADA VEZ QUE LEIO ESSE COMENTÁRIO E O Q FALAMOS
FICO MAIS ANSIOSO PARA ASSISTIR ESSE ESPETÁCULO
DESDE Q COMENTASTE COMIGO, INDIQUEI SEU SITE
PARA ANTES DE ASSISTIR LER SEU COMENTARIO

QUANDO VER VOLTAREI A COMENTAR E COM CERTEZA … CONFIRMAR SUAS PALAVRAS

ABRAÇO GDE CARLOS

Maurício Mellone

abril 25, 2014 @ 09:59

Resposta

Carlos,
que delícia receber sua visita por aqui!
Tenho certeza q vc irá curtir muito o trabalho da Irene e do Dan:
texto reflexivo com pitadas de humor e interpretações comoventes!
bjs e obrigado pela visita (e pelas indicações aos amigos do Favo!)

bruno

abril 1, 2014 @ 15:16

Resposta

Obrigado Mau por ter me convidado para assistir este espetáculo.
Foi um presente de Deus, seu, da Irene, do Dan, do Elias e toda a equipe!

Maurício Mellone

abril 1, 2014 @ 17:56

Resposta

Bruno,
realmente um espetáculo marcante! Adorei ter
assistido esta bela peça ao seu lado!
Que venham outras
bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento