Filme: 25º Festival Mix Brasil, foto 1

25º Festival Mix Brasil: filme italiano abre o evento, o maior da AL

De em novembro 16, 2017

Filme: 25º Festival Mix Brasil, foto 1

Cartaz da edição 2017

O maior evento da cultura da diversidade da América Latina, o 25º Festival Mix Brasil, foi aberto ontem no Ibirapuera. Às 16h a cantora Liniker acompanhada do grupo Os Caramelows fez um show ao ar livre em frente ao Auditório Ibirapuera, onde mais tarde aconteceu a cerimônia oficial de abertura. Com a apresentação da atriz Maria Clara Spinelli, a festa começou com as palavras emocionadas de André Fischer, fundador do festival e hoje é o codiretor. Além de lembrar os nomes importantes que ajudaram na criação das  primeiras edições, Fischer fez questão de lembrar que o festival foi pioneiro em dar nome ao evento, primeiro era GLS (gays, lésbicas e simpatizantes) e depois LGBT, hoje a sigla oficial da comunidade. Falou ainda da importância do braço editorial do festival, o portal Mix Brasil, que durante anos deu suporte, além da participação do Mix Brasil em rádio, revistas e no Canal Brasil.

Filme: Festival Mix Brasil, foto 2

André Fischer e a mestre de cerimônia

“O Festival já passou por 47 cidades brasileiras de diversos Estados e participa de 43 festivais no exterior. Hoje temos outras plataformas além do cinema, com apresentações de teatro, música, palestras e debates. O Mix Brasil é relevante e influenciou a criação de eventos semelhantes em várias localidades. Nestes 25 anos, o Festival Mix Brasil é um ato de resistência”, afirmou André Fischer, claramente emocionado.

Filme: Festival Mix Brasil, foto 3

O diretor artístico João Federici e a atriz Maria Clara Spinelli

O diretor artístico do festival, João Federici, foi o segundo a subir ao palco. Mesmo admitindo o ano de retrocessos no país, ele argumentou que “nada irá apagar a força que já conquistamos”. E comprovou isto contando que neste ano o festival vai apresentar 40% a mais de filmes nacionais na programação, que conta com 159 produções de 34 países. Do Brasil serão 12 longas-metragens e 20 curtas-metragens das cinco regiões do país.

 

“Agradeço muito aos realizadores, que entenderam a importância do Mix Brasil, que hoje é o maior evento de cultura da diversidade da América Latina e um dos maiores do mundo. Esta é a maior edição da história do Festival, graças à nossa resistência. Não vamos nos dispersar. Viva o cinema, viva a arte brasileira e vida longa ao Festival Mix Brasil”, declarou com muita emoção o diretor artístico.

 

Filme: Festival Mix Brasil, foto 4

A filosofia na alcova, filme de de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez

Depois de anunciar que os ingressos serão gratuitos para todas as apresentações, a mestre de cerimônia fez um resumo da programação, com destaque para o recorde de filmes a serem exibidos, a diversidade de atrações, a segunda edição do Mix Lab (espaço de encontro e troca de experiências entre realizadores brasileiros e estrangeiros), as oficinas voltadas às crianças e adolescentes e a 3ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & MIXBRASIL, que acontece em 10 dias, com 150 convidados.
Os representantes dos parceiros patrocinadores — SESC, Itaú Cultural, Sabesp, e SPCine — também estiveram presentes e confirmaram no palco a continuação da parceria na luta em defesa da cultura da diversidade. Além dos prêmios já conhecidos (Coelho de Ouro e Coelho de Prata aos longas e curtas nacionais), João Federici anunciou a nova premiação, Ícone Mix, que irá  homenagear indivíduos que tenham contribuído para o desenvolvimento e visibilidade da comunidade LGBTQ. O primeiro homenageado foi o diretor Gus Van Sant, que recebeu o prêmio e agradeceu muito. Haverá no evento uma retrospectiva de sua carreira.

Filme: Festival Mix Brasil, foto 5

Me chame pelo seu nome: abriu o festival

Para fechar a noite, foi exibido o filme Me chame pelo seu nome, do italiano Luca Guadagnino. A história conta a trajetória do jovem Elio (Timothée Chalamet) que no verão de 1983, no norte da Itália, vive os dias a ler e a compor ao piano até o dia em que sua família recebe a visita de Oliver (Armier Hammer), que passará uma temporada auxiliando as pesquisas acadêmicas do pai de Elio. Depois de uma repulsa inicial, o jovem passa a admirar o visitante e logo ambos se apaixonam e vivem uma delicada e intensa relação amorosa.
Bela e sensível história. Pronto, foi dado o sinal verde: até o dia 26 a cidade de São Paulo será o centro da cultura da diversidade. Aproveitem, há atrações as mais diversas, para todo o tipo de público. Tudo de graça!

Roteiro:

25° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade . São Paulo de 15 a 26 de novembro de 2017. Locais: CineSesc, Espaço Itaú Augusta, Centro Cultural São Paulo, Museu da Diversidade, Auditório Ibirapuera e circuito Spcine. Ingressos gratuitos: retirar com uma hora de antecedência. Programação completa: www.mixbrasil.org.br

 

Fotos: divulgação

 


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento