Filme: Tatuagem, foto 1

Após prêmios em festivais, Tatuagem de Hilton Lacerda está em cartaz

De em novembro 18, 2013

Filme: Tatuagem, foto 1

Chão de Estrelas: trupe que provoca o poder e a moral com shows irreverentes

Depois de grande sucesso nos festivais de cinema — faturou três kikitos em Gramado, 5 troféus no Fest Rio e foi escolhido pelo público do Festival Mix Brasil como o melhor longa — finalmente Tatuagem, filme de Hilton Lacerda pode ser conferido pelo grande público.
Com roteiro do próprio diretor, a trama se passa no final dos anos 70, quando a ditadura militar já mostrava desgaste mas ainda estava atuante e repressora. A trupe de artistas Chão de Estrelas, liderada por Clécio Wanderley, vivido por Irandhir Santos, ao lado de artistas, intelectuais e um público fiel constituído por gays e lésbicas, resistem politicamente por meio de shows e espetáculos recheados de deboche e anarquia.

Filme: Tatuagem, foto 2

Jesuíta Barbosa e Irandhir Santos vivem o casal formado pelo soldado Arlindo e pelo ator Clécio

O filme começa com um show do Chão de Estrelas, em que Paulete (Rodrigo Garcia) faz o número principal e Clécio é diretor e autor do grupo. Eles estão preparando novo espetáculo, quando o cunhado de Paulete, o soldado do exército Arlindo, conhecido como Fininha (Jesuíta Barbosa) visita os artistas. Ele se encanta com Clécio após sua apresentação e em pouco tempo vivem um tórrido caso de amor. Mas o garoto vive um conflito interno: ao mesmo tempo em que está fascinado com o mundo de Clécio, é membro do exército brasileiro, que naquele momento exercia forte repressão à sociedade.
Em entrevista ao Jornal de Pernambuco na época do Festival de Gramado, o diretor disse que o filme nasceu depois de sua conversa com o escritor João Silvério Trevisan:

“Surgiu a ideia de partir de um grupo de teatro que foi importante para uma geração inteira, o Vicencial, que teve força de 1972 a 1979. Anarquistas, eles colocavam discussões de gênero, inquietações políticas, tudo com muita irreverência”, explica Hilton Lacerda.

Filme: Tatuagem, foto 3

Cartaz do filme dirigido por Hilton Lacerda

O que mais me chamou a atenção em Tatuagem foi a chance de, como espectador, ser cúmplice daquela trupe anárquica e revolucionária; com o desenrolar da trama, o espectador é levado ao interior do grupo de artistas, que com muito deboche e ironia contestava a moral, os costumes e a política conservadora da época. A atuação de Irandhir Santos é comovente, mereceu todos os prêmios que recebeu.

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento