Não se mate: últimos dias da pulsante peça com Leonardo Miggiorin

De em abril 10, 2021

Leonardo Miggiorin vive um artista plástico em crise existencial

 

Nesta época de tanta dor em razão da pandemia da Covid-19, a arte é mais do que um bálsamo que ajuda a todos a buscar o equilíbrio. E o teatro é um dos nossos grandes aliados neste momento. O espetáculo Não se mate, com texto e direção de Giovani Tozi, que encerra a temporada amanhã, vem neste sentido. Protagonizado por Leonardo Miggiorin, Carlos é um artista plástico que está em crise existencial depois de tantas perdas — a morte da mãe, o fim do namoro e a demissão no emprego. Em total desespero, ele começa a receber mensagem de um homem misterioso, participação especial de Luiz Damasceno, que provoca uma alteração em sua visão de mundo.

 

Neste novo fazer teatral, a peça filmada ganha vigor com a mescla de vídeos e poemas de Carlos Drummond de Andrade, que interagem com a trama. Transmissão online pela plataforma Sympla.

 

O espetáculo incita o espectador, que está em casa, desde o início: um vídeo traz a ficha técnica e projeta fotos do ator em cena; as imagens se fundem com o personagem que começa a trama dentro de um ônibus e se dirige a seu ateliê. Durante todo o desenrolar da peça, a mescla de vídeo, iluminação, movimento de câmera e os poemas de Drummond em off compõe a estrutura do espetáculo, dando agilidade e dinamismo à atuação do ator.

 

Ator é dirigido por Giovani Tozi, autor do texto

 

 

O caos vivido pelo personagem, um misto de dor e desespero pelo acúmulo de perdas, é um fator de identificação imediata com a realidade em que vivemos hoje. No entanto, o texto não é centrado somente nas dificuldades vividas por Carlos: com humor e a interferência das mensagens que recebe de um homem mais experiente, ele é motivado a se rever e a buscar alternativas de vida.

 

 

“Interpreto um homem em crise com questões parecidas com as minhas e as de muitos de nós. O público vai se identificar e rir da situação patética do personagem. Ele está num momento crucial da vida, no ápice de uma crise quando recebe uma ligação misteriosa do futuro”, explica Leonardo Miggiorin.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A magia do encontro de Carlos com o aquele homem misterioso — que pode ser Deus, uma projeção dele mesmo no futuro, alguém mais experiente ou o seu próprio eu interior— aguça o espectador a refletir sobre esta realidade atual tão obscura e a entender a importância do autoconhecimento para superação das crises existenciais.

 

 

 

Miggiorin em grande atuação

 

 

 

Com um texto incisivo e provocativo, Não se mate se destaca ainda por uma produção cuidadosa, em que a iluminação, os vídeos, os poemas e a trilha sonora estão interligados, pontuam a ação e estruturam a trama. A interpretação visceral e comovente de Leonardo Miggiorin coroa e dá sentido a toda a produção. Pena que a temporada foi tão curta, não perca, sessões somente hoje e amanhã.
Para motivar ainda mais, fique com o vídeo AmarElo, de Emicida, com participação de Majur e Pablo Vittar, e a canção Homem de sorte de Belchior, que também encerra a peça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Roteiro:
Não se mate
. Texto e direção: Giovani Tozi. Elenco: Leonardo Miggiorin; participação especial: Luiz Damasceno. Iluminação: Cesar Pivetti. Figurino: Fábio Namatame. Trilha sonora original: DW Ribatski. Videografismo e videomapping:  André Grynwask e Pri Argoud. Fotografia: Priscila Prade. Produção: Carlos Gustavo Poggio. Realização: Lei Aldir Blanc, Proac SP, Tozi Produções.
Serviço:
Transmissão online (https://www.sympla.com.br/espacoculturalbricabraque). Horários: de sexta a domingo às 20h. Ingressos: gratuitos. Duração 70 min. Classificação: 10 anos. Temporada: até 11 de abril.

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
28º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

4 Comentários

priscila

abril 10, 2021 @ 12:34

Resposta

Achei o crédito no final junto com o roteiro .
Me desculpe rs
É que a maioria das matérias não credita a gente .
Já estamos vacinados .
Parabéns em dobro .
Abrs

Maurício Mellone

abril 12, 2021 @ 10:15

Resposta

Priscila:
Sempre posto a ficha técnica no final, no roteiro.
Mais uma vez parabéns pelo lindo trabalho
beijos

Priscila prade

abril 10, 2021 @ 12:32

Resposta

Importante e obrigatório colocar crédito nas fotos.
Parabéns pelo texto.
Abrs

Maurício Mellone

abril 12, 2021 @ 10:16

Resposta

Priscila,
sei o quão desagradável é omitir o crédito.
Mas como respondi acima e vc tb verificou,
na ficha técnica consta o crédito de fotografia.
Parabéns
Volte mais me visitar aqui
bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: