Fim de ano: um balanço das atividades do FAVO do MELLONE

De em dezembro 30, 2022

 

 

Um ano de muita luz a todos!

 

 

O ano de 2022 chega ao fim e é o momento de se fazer um balanço, tanto pessoal como do Brasil de uma maneira geral. Se no ano passado ainda vivíamos com a pandemia do coronavírus provocando inúmeras mortes e, por causa disto, as atividades culturais estavam reduzidas ou sendo realizadas de forma online, em 2022 com a população sendo imunizada com a propagação das vacinas, o setor cultural começou a respirar novamente. Shows, espetáculos de teatro e dança, exposições e as salas de cinema em atividade passaram a contar com a valiosa e indispensável presença do público!

 

 

Parece pouco, mas foi fundamental para o início da retomada das produções culturais.  E o Brasil também passou neste ano por profundas transformações: as eleições agitaram o país inteiro e finalmente um governo de extrema direita — que tanto mal produziu ao país em diversas áreas, como meio ambiente, cultura, saúde, educação, direitos humanos etc — foi derrotado nas urnas e 2023 irá marcar a volta do Brasil aos trilhos!

 

 

 

 

Feliz ano novo!

 

No plano pessoal este ano também representa mudanças radicais. Depois de deixar São Paulo, minha terra natal, consegui me instalar no Recife/Pernambuco, terra de uma riqueza cultural, que vem me deixando muito feliz, sinto-me ‘em casa’ por aqui.

 

Tanto é verdade que o FAVO do MELLONE passou a trazer a rica produção cultural nordestina e pernambucana, com resenhas de livros, cinema, teatro/dança, música e artes plásticas.

 

 

 

 

 

Martins, cantor e compositor do Recife

 

 

 

 

 

Logo no início de 2022 pude participar do show do cantor e compositor Martins, no Teatro do Parque, palco que também recebeu Lia de Itamaracá, Marcelo Jeneci e a paulista Tulipa Ruiz em shows memoráveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Afinal o que é poesia -mostra de João Cabral

 

Do setor de artes plásticas, a exposição dos modernistas pernambucanos, no MEPE (Museu do Estado de Pernambuco), ganhou destaque, assim como outros dois personagens recifenses de grande valor, como o escritor e poeta João Cabral de Melo Neto, mostra do Museu Cais do Sertão, e o educador Paulo Freire, exposição no MEPE.

 

 

 

 

 

 

Capiba, pelas ruas eu vou, peça do Projeto Aria

Nas comemorações dos 30 anos do Projeto Aria, o grupo criou o espetáculo em homenagem ao mestre Capiba, em apresentações no Teatro de Santa Isabel. Dança também recebeu destaque, com os espetáculos Itaêotá do grupo Toten, Cicatriz do Coletivo Lugar Comum e Corpo Onírico de Marina Mahmood.

Mas também receberam destaque os espetáculos As Cangaceiras, do pernambucano Newton Moreno, Nunca desista de seus sonhos com Myrian Rios e Nizo Neto e a performance de Denise Stoklos em Abjeto-Sujeito.

 

 

 

 

 

 

A palavra que resta do cearense Stenio Gardel

Os dois setores culturais que receberam o número maior de resenhas foram Literatura e Cinema. Os lançamentos literários sempre estão presentes no Favo, no entanto neste ano livros que ganharam edições especiais como Quarto de despejo de Carolina Maria de Jesus ou autores que passei a conhecer, como Francisco Azevedo, também rechearam as páginas do blog.

Autores com destaque como Itamar Vieira Junior, Carla Madeira, a premiada Eliana Alves Cruz, Jeferson Tenório e Paulliny Tort foram resenhados também. Dei destaque para autores do Nordeste, em especial a Alexandre Figueirôa/Biu da Silva e o cearence Stenio Gardel , autor do romance sensível A palavra que resta.

 

 

 

 

 

 

 

Paloma, filme do recifense Marcelo Gomes

A Fundação Joaquim Nabuco é uma instituição que possui três bem equipadas salas de exibição de cinema, Derby, Museu e Porto Digital, com uma programação de excelência. Passei a ser um freqüentador assíduo, acompanhando os lançamentos nacionais, assim como festivais e mostras especiais de cinema de Pernambuco e do mundo. Quero destacar o filme Paloma, do pernambucano Marcelo Gomes, estrelado pela premiada atriz Kika Sena.

 

 

 

 

 

 

 

Mesmo com as dificuldades econômicas do país num ano pós pandemia e com um governo que despreza a Cultura, o setor cultural se mostrou forte e combativo. As páginas do Favo revelam esta força, foram mais de sessenta resenhas postadas durante o ano.

 

E é com este vigor que, com as esperanças renovadas com o novo e democrático governo — que já reintroduziu o ministério da cultura —, iniciamos 2023 na expectativa de uma verdadeira retomada do setor cultural, com a volta das leis de incentivo e a produção em plenos pulmões!

Axé e um ano novo de realizações e prosperidade real a todos nós!

 

 

Marcos Zaccharias Publicitário

4 Comentários

Dinah

dezembro 30, 2022 @ 15:36

Resposta

Querido,
Que bom ler sua retrospectiva, muita informação boa vc passou durante o ano!
Que venham novas resenhas e novos desenhos pro Ano Novo!
E, claro, que a gente continue segurando a mão um do outro, como sempre fizemos.
Beijos,
Dinah

Maurício Mellone

dezembro 30, 2022 @ 15:59

Resposta

Dinah:
muito obrigado pela presença
constante aqui no Favo!
Estamos sempre juntos, não será diferente
em 2023!
Felicidades e meu eterno carinho!
Beijos

Adriana

dezembro 30, 2022 @ 13:36

Resposta

Um 2023 pelo e brilhante, querido, pra todos nós!!

Maurício Mellone

dezembro 30, 2022 @ 13:49

Resposta

Dri, querida:
muito obrigado!
Um ano de luz e paz para nós!
Que o país volte aos trilhos
Beijos

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: